Objetivo

O objetivo deste Blog é informar as pessoas sobre os mais variados assuntos, os quais não se vê com frequência nas mídias convencionais e ajudar a esclarecer duvidas sobre a nossa complexa realidade. Não pedimos e nem esperamos que acreditem no que é apresentado aqui sem primeiro investigar por vocês mesmos, e nós insistimos que vocês o façam!
Busquem informação e ajudem a dissemina-la! Com informação vem conhecimento, com conhecimento sabedoria, a sabedoria lhe aproxima da verdade...
e a verdade o libertará!
Ouça a todos, não siga ninguém.
A única revolução é a SUA evolução da consciência!

Com o propósito de ir mais a fundo nas questões psicológicas, que ao meu ver é o que realmente faz a diferença, criei este outro blog: Evolução da Consciência
OBS: Não será postado nada novo neste blog, apenas no novo.

O blog Liberte-se do Sistema contém as informações que consideramos mais relevantes para ajuda-los a conectar os pontos de um modo básico, além de ser mais focado na estrutura do sistema e da sociedade. A intenção é mante-lo simples e organizado para quem está iniciando sua busca, ou simplesmente está procurando novas perspectivas.

sexta-feira, 27 de julho de 2012

A Escravidão Moderna

ESSA POSTAGEM FOI EDITADA E POSTA NO NOVO BLOG, LINK ABAIXO:




18 comentários:

  1. A enorme sensação de impotência que vc sente depois de ver videos assim é horrível

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Por uma cidade nova sem comércio nem capitalismo!
      http://www.facebook.com/CosmopolisAsCidadesDaLuz

      Excluir
  2. O maior problema é que nós achamos que nós estamos livres... Antigamente tinhamos bem claro contra o que lutar, pois a escravidão era declarada, no entanto hoje em dia as pessoas estão presas a esse conceito vago de liberdade. Libertos do que? Somos todos escravos, eu mesmo vendo meu dia para essa empresa de bosta, das 8 às 18 e recebo uma micharia e depois eu a devolvo para o sistema, à noite vou para o curso, me preparar para integrar outro nível dessa escrevidão absoluta, isso tem saida?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tem, e em breve ficara bem evidente.
      Você não precisa viver na cidade tambem, essa é outra escolha. Se estiver interessado, pesquise sobre grupos que vivem afastados, colhendo o que plantam. Um bom exemplo é um grupo aqui do Rio Grande do Sul, Arca Verde.

      Excluir
    2. Interessante saber disso. Já pensei até em me matar em crises por não encontrar uma solução para essa escravidão. Mas agora vou ver se encontro algo do tipo aqui em São Paulo...

      Excluir
  3. Nunca ouvi falar de grupos assim, mas é claro que informações assim nunca sairiam com frequência na mídia, vou pesquisar com certeza. Muitíssimo obrigada.

    ResponderExcluir
  4. Sinto um vazio enorme ao ver a correria do dia-a-dia, a inutilidade do que fazemos, as festas sem sentido, o egoísmo das pessoas, a violência, o trânsito estressante, a sensação de que só o dinheiro é que vale, que as pessoas não valem quase nada, que só os objetos de valor importam, para que possamos acumular, acumular e ostentar... o que sei é que tendo dinheiro ou não a minha sensação de vazio existencial só aumenta, por que o mais importante, que é a solidariedade, o importar-se com os outros está absolutamente fora de questão. E o pior é que vc sabe que poucas pessoas sentem isso. A maioria está tão envolta com essa realidade asquerosa, que nem entende o que vc fala...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. é simples vá para o meio da amazonia peça abrigo a alguma tribo e fique por lá, nao tera mais de pagar internet, tv por assinatura, seguro de vida, seguro de automovel, seguro residencial, ipva iptu e nem ir a supermercados ou shopings !!!

      Excluir
    2. Isso sim seria liberdade. Cansada do sistema.

      Excluir
  5. Tem um grupo no mato grosso também que vive essa ideia.
    Porém nao sei o nome, soube atravezde uma professora minha...
    ainda irei lá conhece-los para crescer como humano verdadeiramente...;]

    ResponderExcluir
  6. queria que voce falasse um pouco sobre a violencia .. que tal ?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. To sem tempo pra fazer texto, como pode ver o blog ta meio "abandonado" de artigos recentes. Se quiser fazer uma pergunta mais especifica fica bem melhor pra te ajudar.

      Excluir
    2. Lembro que vi este documentário a um bom tempo atrás, agora nem lembro. Mas parando para pensar hoje...como que somos escravos hoje em dia? De que forma? Pois vejo muita gente argumentando que o capitalismo é o sistema economico que proporciona a maior liberdade para o individuo. Renegar toda a evolução cientifica e tecnológica e ir viver no mato não me parece uma boa solução, dizer que somos escravos pq temos que trabalhar tbm n me parece mais fazer muito sentido, afinal, se n trabalhassemos, teríamos que caçar e colher nossa própria comida, ou seja, perderíamos o mesmo tempo se não mais do nosso dia tentando conseguir comida.
      Não acredito que o Capitalismo seja um sistema baseado na liberdade, ele é baseado sim no individuo de forma que o desconecta do todo e o põe acima do resto da existencia, de forma que todo o resto são apenas ferramentas para saciar a sua satisfação pessoal. É um sistema baseado no ego e por si só baseado na busca pelo poder. Valoriza a liberdade individual de tal forma que num todo, acabamos nos escravizando. Podemos ver o sistema capitalista como um sistema escravista de forma que ele cria uma barreira entre o ser humano e os recursos naturais, assim temos que lutar, trabalhar e alimentar este sistema para poder sobreviver. Não é, portanto, uma escolha livre.

      Excluir
  7. Na minha humilde opinião, ir para uma comunidade afastada não vai excluí-lo do sistema, dificilmente as pessoas viverão sem luz por exemplo. Acredito muito na revolução das mentes e se todos que tem o conhecimento, ou um pouco dele, que seja, fugir pro mato, quem levará a mensagem para as pessoas? Eu entendo que o auto-conhecimento é algo individual, mas o meio influencia muito, e nesse meio também estamos nós, pessoas com conhecimento. O que esse rapaz fez com o blog é uma boa ideia para passar alguma mensagem. É importante entender se esse vazio ou essa angústia não é tédio da rotina, pois rotina existe em qualquer lugar. Na comunidade afastada, todo dia terá que fazer as mesmas atividade, nos mesmos horários e sem nenhum tipo de "recompensa", a não ser moral. Recompensa essa que nós, meros seres sub-desenvolvidos, estamos acostumados, afinal quando você ou seu filho vai bem na escola, o resultado é sempre algum presente. Como seres sub-desenvolvidos que somos, é natural cometermos vários erros até acertarmos. Thomas Edison, ao criar inventar a lâmpada elétrica, realizou mais de mil experiências até ao ponto de um dos seus colaboradores que trabalhava na sua oficina perguntou-lhe se Edison não se desanimava com tantos fracassos, ao que Edison respondeu:”Fracassos? Não sei do que falas, em cada experiência descubro um dos motivos pelo qual a lâmpada não funciona. Agora sei mais de mil maneiras de como não fazer a lâmpada.” O fato é que há mais uma luta de foice para ver quem é que sabe a verdade sobre a vida, o céu e a terra, Deus, que se esquecem de si. De qualquer forma, você nunca vai saber o que é bom pra você se não tentar, é muito melhor do que se arrepender por não tê-lo feito. Boa sorte abraços.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo, não ira mesmo, o sistema precisa ser mudado de dentro para fora. Mas aqueles que estão buscando e criando novas formas de sociedade são os pioneiros, que assim como Edison, tambem precisam cometer erros e acertos para depois nos ensinar sobre isso.

      Excluir
  8. Vivemos em numa espécie de Matrix sim! Mas em uma Matrix real e orgânica, onde também interagimos com verdadeiros robôs orgânicos e programados, pois estes não possuem alma como nós possuímos tipo: peixes, insetos, lagartos, e também algumas aves e pequenos mamíferos. Assim como no filme Matrix, somos prisioneiros, mas a nossa prisão são os nossos próprios corpos e ao morrermos, nossa alma tem a livre decisão de retornar a em outro corpo para um novo aprendizado ou ficar vagando como rebeldes descontentes com o sistema de ensino, pois se recusam a reencarnar e dá continuidade ao processo de aprendizado, pelo método de vivencias assistidas onde aprendemos com situações diversas que lapidam o nosso caráter em situações reais e não teóricas.

    ResponderExcluir
  9. Na minha opinião o problema esta na educação,não na educação do MEC,messa merda!! me refiro a educação familiar,a grande maioria dos pais passam praticamente o dia todo executando tarefas,com uma garga horaria abusiva desgastante,a pessoa que se submete a isso jamais conseguirá obter evolução mental,essa rotina zuada deixa a pessoa pilhada,roletada,tornando-se incapaz de evoluir o miolo,o problema é que nenhum escravo sabe que é escravo,ele se ilude com o consumo e segue os padrões governamentais,buscam se divertir atravéz do álcool,das musicas,não se importam em vender seu tempo,seus dias por miseros tracados,tem por caracteristica ignorar os assuntos mais sérios,relevantes e dar grande importancia a bobagens,dependem totalmente do seu empregador,seu sinhô,acaso seja despedido não tem nem oque comer nos prossimos meses,outra caracteristica do escravo,capacho é não saber dos seus limites,fazem tudo de qualquer jeito,sem planejamento algum,pensam que esses métodos de trabalho convencional,carteira assinada é natural da vida,mal sabem eles o quanto são zuados,que existe outras opções,sem nem um pingo de noção do ridiculo os capachos se acham importantes,homenzinhos,comentam sobres suas vidas conjugais com os amigos,acham que é normal formar uma familia nessas condições,e ainda são ambiciosos,fazem barbaridades por dinheiro,mas não sabem ganhar,sentem raiva de moradores de rua ou de quem não trabalha,porque foram domados,adestrados desde criança,na escola publica do governo eles aprendem a viver em grupo para ja irem se acostumando com o futuro ambiente de trabalho,e tambem para dificultar o ensino,assim o governo forma mais uma safra de retardado tapado,futuros capachos vendados.

    ResponderExcluir
  10. Por muitos anos fui escravo,acordava todos os dias antes do sol se por,passava um café preto acendia um cigarro vestia meu jeans blul e ia pro trabalho, feliz,no final da tarde eu voltava pra casa,todo acabado,antes eu passava no bar,após a jornada diaria de trabalho me sentia no direito de estrapolar na bebida,passava mais tempo com meus amigos de bar do que com minha propria esposa,mal dava atenção pra ela,não tinha tempo,a única utilidade que ela tinha pra mim era limpando a casa e fazendo a comida,alem de limpar meu vomito,minha maior motivação era meu carro,esporte eu não praticava,os poucos momentos que eu passava em casa fazia questão de assistir os noticiarios da tv,ficava vidrado,dava grande importancia aquilo,tudo o que os jornalistas falavam eu achava certo,não questionava nada,a tv era minha fonte de aprendizado,até que minha esposa se cansou,meteu o pé na minha bunda,me pondo para fora de casa,sem personalidade alguma procurei ajuda na igreja,onde o pastor me acolheu,manipulado eu fiquei nessa por meses,repartia meu salario com o bar e com a igreja,comia qualquer coisa,uma feijuca,um torremo com pelo, sarapatel,eu não ligava pra isso,não agia com a razão,só com a emoção,minha única prioridade na vida era meu trabalho,minha dignidade,o restante eu ia levando,mesmo sem estudar eu me achava capaz de tudo,sem moradia na época meus amigos de bar me convidaram para morar em uma penção,aceitei a proposta,assim passei a dividir um quarto pequeno com seis amigos,achei bom por que tinha medo de ficar só, como meu novo endereço ficava muito longe do meu ambiante de trabalho passei a utilizar o transporte publico,mais precisamente o trem, CPTM,confeço que foi amor a primeira vista,eu ia sentado na janelinha do segundo vagão palitando os dentes observando as paisagens,a mistura de frangrância dava um toque único ao ambiente,eu trabalhava de segunda á sabado,meu sonho era cursar a faculdade,ficar rico,sempre que possivel eu fazia uma fézinha na méga sena,sonhava em ter um iate,uma ferrari,uma hornet,diamante,quem sabe até um dente de ouro,mas nada disso aconteceu. No ambiente de trabalho meu objetivo era construir uma carreira sólida,crecer na vida,atingir outros patamares,entre uma tarefa e outra,nós colaboradores sempre nos reuniam para trocar aquele papo cabeça de altissimo nível, seguindo sempre o calendario eu me preparava para as datas comemorativas,com o celular sempre em mãos eu me encantava com tamanha a tecnologia,minha alegria era meu hobby, a dança,principalmente o axé,me requebrava feito uma minhoca noite a fora,certo dia lesionei minha coluna em uma dessas danças,fui até um hospital publico para ver se conseguia um atestado médico,lá recebi um atendimento exemplar,me senti super valorizado,da recepção fui para uma maca no corredor,o ambiente era ótimo,nem as manchas de sangue na parede me desanimou,no dia seguinte fui a Igreja onde o pastor constatou que minha dor na coluna nada mais era que o diabo muntado,usando meu corpo como cavalo.Depois disso minha vida continuou acontecendo coisas bizarras,até que um dia eu me mudei para o campo,lá eu conheci uma pessoa totalmente diferente de todas as outras que ja havia conhecido,essa pessoa passou a me estruir,ao longo de alguns anos eu reconfigurei meu celebro deletando tudo que havia nele,não foi facil,mas só agora na velhice eu pude perceber o quanto eu era zuado.

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...